sexta-feira, 18 de março de 2016

Sobre ser borboleta

Quarta-feira fui agraciada com um presente de Deus maravilhoso. Fui ao mercado com a minha mãe e meu irmão mais novo e na garagem vimos o que parecia o vulto de uma borboleta. Não qualquer borboleta, uma borboleta azul com detalhes pretos, dessas que vemos a foto no Google e colecionamos adesivos para enfeitar nosso quarto quando somos crianças. Minha mãe ficou completamente arrepiada e emocionada e eu também. Damos mais uns passos ainda e ao olhar pra trás estava ela, enorme, voando entre os carros. Como pode num lugar tão incomum algo tão frágil e ao mesmo tempo tão forte como uma borboleta viver? Era uma garagem! Resolvi interpretar aquilo como um sinal. Era um sinal dos céus. Certeza.


A Borboleta sempre foi um inseto especial para mim, não só por sua beleza, mas toda a sua simbologia cultural. Ela é símbolo de transformação, de espiritualidade e da alma feminina, e principalmente de liberdade. Desde pequena era (sou um pouco ainda) obcecada por essa pequena criatura. Costumava em minhas brincadeiras, nos momentos retardados dizer em voz alta "Sou uma linda Borboleta" e sair correndo em círculos batendo minhas asas. Kkk. Desenhava varias delas em todos os livros e cadernos que tinha, minha assinatura sempre era seguida por uma.


Quando era pequena havia um livro que amava muito que líamos duranto o Evangelho no Lar. Era a história de uma pequena lagarta que se lamentava por ser "feia" e por viver presa a terra, se arrastando sempre lentamente e com dificuldade, sempre presa ao chão. Ao longo da historia ela conhecia diversos amigos: Terra, ar, água e fogo, ou seja, os "elementos" da natureza e cada um deles dava lições valorosas para a lagarta sobre virtudes e sobre a sabedoria de Deus. A lagartinha precisava ter paciência, resignação, foco, fé e sobretudo amor. Ela tinha uma luzinha dentro dela que aquecia seu coração sempre que ela orava, agradecia e exercitava o amor ao próximo. Até chegar o momento em que se transformaria em uma "nova criatura". O processo era simples, mas não era fácil, ela começou a ficar cansada, abatida, por mais que quisesse continuar não dava, ela então precisou ficar estagnada durante um tempo em um sono profundo e restaurador... Até que ela despertou para a sua nova realidade! Ela estava completamente diferente.  Estava bonita, iluminada e ganhara lindas asas, ela não estava mais presa ao chão, se arrastando por aí, ela era livre.


Metáfora para a vida. Aqui na Terra "somos lagartas, nos arrastando na vida" (kkk, trecho de musica infantil que eu amo!). Estamos limitados, e as dificuldades que enfrentamos sao inúmeras, mas não podemos nos permitir desistir. Assim como a lagarta da história o mundo parece que vai nos engolir as vezes, mas é preciso exercitar a fé, a perseverança e o amor, principalmente o Amor! Se a gente desistir vamos ser esmagados antes de nos tornarmos borboletas. Mas se enfrentarmos tudo sem esmorecer quando nosso corpo estiver cansado toda a carga que nos prende ao chão será deixada de lado numa espécie de morte. E nesse periodo de "internalização" vamos expurgar de nós tudo aquilo que já não nos serve, é um processo lento e doloroso, onde a "velha criatura" passa por um período de inércia até despertar como borboletas em uma nova vida, capaz de cruzar os limites do seu mundo conhecido e se aventurar fora de seu habitat natural, tal qual aquela linda borboleta azul na Garagem.


Serei borboleta um dia. 😊

0 comentários: